Algumas situações que as pessoas acham que os filhos estão sendo malcriados, mas tratam-se apenas de outra fase de desenvolvimento específica

Notícias

Muitas vezes os pais acham que os filhos estão sendo malcriados por não obedecerem e não se comportarem supostamente bem. Realmente, às vezes parece que as crianças não ouvem as ordens e as orientações. Ou então ouvem mas não fazem questão de obedecer.

Portanto, é muito importante saber que o seu filho não necessariamente está sendo malcriado, ele pode apenas estar apresentando comportamentos típicos do desenvolvimento. Veja em seguida alguns indícios disso:

  • Praticamente todos os pais já devem ter chamado seus filhos de hiperativos, no entanto os estudos apontam que as regiões cerebrais que trabalham no processo de autocontrole são imaturas quando a criança nasce. E o mais interessante é que essas regiões não se estabelecem totalmente até o final da adolescência. Sendo assim, já fica óbvio que o desenvolvimento do autocontrole é um processo realmente longo. Ele não acontece da noite pro dia. Então, se o seu filho não obedece certas ordens, ele não está diretamente lhe desrespeitando.
  • Uma casa cheia de crianças geralmente é associada à bagunça, gritos e confusões. Essas coisas tão comuns em casas com crianças também não indicam malcriação. Os profissionais acreditam que o problema vem do excesso de estímulos naturais da atualidade. O que acontece é que as crianças passam muito tempo inativas e depois acabam querendo compensar o seu "tempo de espera". Daí a importância de criarmos as horas de silêncio, de brincadeiras e de descanso para providenciar um certo equilíbrio.

  • Acontece também com muita frequência que a criança acaba tendo uns comportamentos supostamente malcriados só por estar com as suas condições básicas não atendidas. Fome, cansaço e sono afetam até os adultos, mas o caso de uma criança se complica por ela não saber se comunicar e controlar as suas atitudes.
  • Não há porque também punir os gritos altos e choros, pois as crianças simplesmente não têm como controlar ou esconder as emoções, nem muito menos uma culpa disso elas têm. 
  • O excesso de energia também é natural e até mesmo necessário para o desenvolvimento físico e intelectual de um bebê. Se a criança não para, façam um passeio ou brinquem mais um pouco, mas jamais se estressem com isso.

  • Se o seu filho pintou as paredes, jogou a sua maquiagem caríssima no vaso, cortou os próprios cabelos entre outras coisas, ele mais uma vez não está sendo malcriando, somente desenvolvendo a independência e tomando atitudes próprias.

Tudo não passa de uma fase e essa fase da suposta ¨má-criação¨precisa ser aproveitada também!

Fonte: Vix

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Como deixar a casa totalmente segura para crianças


O material deste artigo é destinado apenas a fins informativos e não substitui o conselho de um especialista devidamente habilitado.

Recomendamos